Novo Hamburgo contabiliza saldo de milhares de novas empresas e empregos conforme RedeSim

Por Jonathan da Silva

Novo Hamburgo teve um saldo positivo de 17.332 empresas entre 2017 e 2023 de acordo com dados da RedeSim, uma rede de sistemas informatizados necessários para registrar e legalizar empresas e negócios, tanto no âmbito da União como dos estados e municípios.

Os números da RedeSim colocam Novo Hamburgo como uma das cidades mais procuradas por empreendedores para abrirem seus negócios e por empresários para migrarem seus empreendimentos. “Graças à infraestrutura da cidade e aos processos de desburocratização que colocamos em prática, temos números bastante expressivos em empreendimentos abertos no município”, destaca a prefeita Fátima Daudt (MDB). “Este número é o resultado da diferença entre empresas que fecharam e empresas que abriram no período”, complementa a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Paraskevi Bessa-Rodrigues.

Ainda segundo informações da RedeSim, deste total, 8,1 mil são de empresas que resolveram migrar suas atividades para Novo Hamburgo entre 2017 e 2023. “Naturalmente, tivemos algumas empresas que deixaram a cidade, o que faz parte de planos estratégicos dos negócios. Mas Novo Hamburgo atrai muitos empreendimentos de outras regiões e cidades”, completa a secretária.

O que também tem ocorrido no município é a ocupação de áreas e antigos prédios por novos empreendimentos. O anúncio mais recente é da Fort Atacadista, cujas obras já estão em andamento para sua instalação no bairro Operário. E há ainda obras de novos empreendimentos em bairros como Rio Branco, Canudos, Hamburgo Velho, Rondônia, Santo Afonso e muitos outros.

Mais empregos

A abertura e migração de empresas em Novo Hamburgo tem refletido também na criação de empregos formais na cidade, ou seja, com carteira assinada. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do governo federal, Novo Hamburgo começou 2024 como o município que mais gerou empregos no Vale do Sinos. Foram 667 empregos gerados durante o primeiro bimestre do ano.

Em 2021, durante a pandemia de Covid-19, Novo Hamburgo foi destaque nacional com 7,7 mil postos de trabalho criados. Foi a segunda cidade com mais de 200 mil habitantes de todo o país a proporcionalmente criar mais empregos, atrás apenas de Osasco, em São Paulo, e superando todas as capitais.

Ainda segundo o Caged, Novo Hamburgo voltou a se destacar no ano seguinte, com saldo de quase 2,3 mil novos empregos. Ano passado, Novo Hamburgo foi um dos poucos municípios do Vale do Sinos a terminar o ano com saldo positivo (83), enquanto a maioria da região encerrava o ano com saldo de centenas de empregos fechados. “São números de organismos nacionais que atestam o trabalho que está sendo realizado em Novo Hamburgo”, lembra a prefeita Fátima.

A entrada do município na RedeSim e a criação da Sala do Empreendedor, que reúne em um local o atendimento aos empreendedores, 2017 e 2018, é ponto apontado como essencial. Desde então, a gestão municipal vem realizando ações em apoio ao crescimento dos empreendedores já instalados e também na criação de um ambiente favorável criado no município para receber empreendimentos, muitas destas ações em parceria com o Sebrae-RS.

Já em 2022, por exemplo, Novo Hamburgo foi a primeira cidade do estado, depois de Porto Alegre, a integrar o sistema Tudo Fácil Empresas da Junta Comercial e de Serviços do Estado, facilitando ainda mais a abertura de novas empresas. No mesmo ano, foi lançado o Conselho Municipal de Desburocratização e Empreendedorismo, uma iniciativa pioneira no país no âmbito da administração municipal.

Foto: Lu Freitas/PMNH/Divulgação | Fonte: Assessoria
Publicidade

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.