Aulas presenciais recomeçam na rede municipal de Santa Cruz do Sul

Por Caren Souza

Foi em clima de tranquilidade que as aulas presenciais na rede municipal de ensino foram retomadas nesta segunda-feira (3), conforme estava previsto após a mudança de bandeira, dentro da última rodada do modelo de distanciamento controlado do governo do Estado, que permitiu o retorno das atividades escolares. Os 45 estabelecimentos de ensino abriram as portas para receber as crianças da edução infantil e do 1º e 2º ano do Ensino Fundamental. Somente neste grupo, o contingente é de 4,8 mil alunos.

Na Emef Bom Jesus, no bairro de mesmo nome, o movimento no início da tarde foi tímido. Aos poucos os alunos iam chegando à escola, acompanhados dos seus pais. Logo após ingressarem no pátio, passar álcool gel nas mãos e medir a temperatura eram rituais obrigatórios. Cartazes de boas vindas e outros adereços coloridos decoravam as paredes e o clima era de muita expectativa pelo retorno.

Segundo a diretora da escola, Inês Fernandes, os alunos devem voltar gradativamente no decorrer da semana. Ela disse que os pais podem ficar tranquilos porque o local está preparado para um retorno seguro. Além do álcool gel, medição de temperatura na chegada, demarcações no piso, distanciamento de 1,5 metro entre as classes, limpeza permanente dos ambientes, também máscaras estavam disponíveis para caso alguém precisasse substituir o EPI.

Visivelmente empolgada com a volta dos alunos, Inês afirmou que todos os protocolos estão sendo observados com rigor. “A gente está muito feliz em ter nossos alunos de volta. Ele precisam desse contato com a escola”, disse. Na Emef Bom Jesus estudam cerca de 500 alunos. No turno da manhã cerca de 60 compareceram e à tarde outros 80.

Como metade poderia retornar esta semana, a frequência ficou em pouco mais de 55 por cento neste primeiro dia.
A diretora contou ainda que muitos pais que vieram na semana passada e assinaram o termo para que os filhos permanecessem no ensino remoto, agora estão mudando de opinião e retornando para assinar um novo papel autorizando o presencial. “Sabemos que devagarinho a grande maioria vai optar por voltar”.

Na avaliação do secretário municipal de Educação, João Miguel Wenzel, um percentual significativo de alunos deve sim retornar no decorrer da semana aos bancos escolares. “Estimamos em torno de 70% a 80% dos estudantes voltando nos próximos dias. Estamos muito contentes com o dia de hoje, que foi realmente muito tranquilo e positivo para a comunidade”, ressaltou.

Desde o início da manhã o secretário percorreu as escolas da rede para acompanhar a retomada e aproveitou para conversar com as direções, professores, pais e alunos. Ele visitou as Emeis Pingo de Gente, Bem-Me-Quer e Beija Flor e as Emefs Guido Herberts, Luiz Schroeder, José Ferrugem, Beija Flor, Harmonia, São Canísio e Vidal de Negreiros.

A atendente de loja Claudia Ferreira Mello, 40 anos, mãe da pequena Milena Valentina, 7 anos, aluna do 1º ano do Fundamental, faz parte do grupo de pais que optaram pelo retorno dos filhos à escola. Para ela, que trabalha fora e ainda tem as atividades do lar, sobra pouco tempo e disposição para as tarefas escolares.

Embora as aulas presenciais ocorram, neste primeiro momento, em semanas alternadas, em razão do modelo híbrido, ela observou que essa retomada já vai trazer mudanças positivas na rotina da família. “Já ajuda bastante, tanto pra ela, quanto pra nós (pais). Nem eu, nem o pai dela conseguíamos ensinar em casa, era muito difícil, meu marido quase enlouquecia”, desabafou.

Ensino híbrido

Enquanto o modelo híbrido estiver sendo adotado na rede municipal, a organização da escola é um ingrediente fundamental. Alunos que estão retornando às aulas presenciais, mas que esta semana pertencem no grupo dos que ficam em casa, também foram a escola para fazer a troca de cadernos. Eles deixam na secretaria as lições feitas para que os professores procedam às correções e retiram para levar para casa novas tarefas, dando assim prosseguimento aos estudos.

Na Emei Paraíso Infantil, também no Bairro Bom Jesus, o movimento nesse primeiro dia também foi bastante tímido, mas a expectativa é que aumente com o passar dos dias. Do contingente de alunos que poderia voltar, 30 por cento retornaram. Os cuidados se repetiram, como nos demais educandários, com fornecimento de álcool gel e máscaras à disposição logo na entrada.

A diretora da instituição Bárbara Haas, disse que durante o ensino remoto, a participação dos pais dos alunos foi fundamental no processo ensino-aprendizagem. “Os pais foram nota 10, eles se envolveram nas atividades, auxiliaram os filhos esse tempo todo, tivemos uma boa resposta deles. Tudo isso foi resultado de uma construção da escola, na verdade de um vínculo que a gente sempre procurou ter com as famílias dos nossos alunos” disse.

Crédito: Guilherme Neuhaus | Fonte: Assessoria
Publicidade

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.